Crítica | Com nostálgico Anos 90, Jonah Hill tem estreia marcante como diretor Críticas, Filmes

Crítica | Com nostálgico “Anos 90”, Jonah Hill tem estreia marcante como diretor


Chega aos cinemas, nesta quinta-feira (30), o nostálgico filme Anos 90 [Mid90s, em inglês], que marca a positiva estreia de Jonah Hill (Superbad; O Lobo de Wall Street) como diretor. 

A produção acompanha o jovem Stevie (Sunny Suljic) que, aos 13 anos, conhece um grupo de skatistas de Los Angeles e, imediatamente, passa a desejar ser um dos membros, como uma válvula de escape da complicada vida caseira. A mãe, Dabney (Katherine Waterston), tem um relacionamento conturbado com os filhos, e o irmão mais velho de Stevie, Ian (Lucas Hedges) é um valentão que intimida o caçula.

Desta conturbada bolha, o jovem Stevie tem as premissas para buscar um outro grupo, no qual realmente deseja se encaixar. Apaixonados pela nova onda do skate, Ruben (Gio Galicia), “Fourth Grade” [Quarta Série, em português] (Ryder McLaughlin), Ray (Na-kel Smith) e “Fuckshit” [Saco de Merda, em português] (Olan Prenatt) usam o esporte não apenas como hobby, mas também como um válvula de escape de suas diferentes, porém igualmente complicadas, realidades.

A trama é bastante simples, mas consegue mostrar com muita sensibilidade a importância de um adolescente ser aceito por certo grupo de pessoas, não importa o que ele ache que tenha que fazer para isso. Dito isso, a característica mais marcante de Anos 90 é o arco de desenvolvimento de todos os personagens, principalmente o do protagonista, Stevie.

No começo imaturo e inseguro, o jovem quer provar, a todo custo, que é “elegível” a participar do grupo dos skatistas durões, mesmo que isso não tenha sido cobrado em momento algum. Pelo contrário, o mostrado no filme é, justamente, a receptividade da turma com o “diferente” (no caso, apenas muito mais novo do que os outros).

Tecnicamente, Anos 90 mostra não apenas ser sobre a década, mas quase que fazer parte dela: como pode ser visto no trailer, abaixo, o estilo da câmera lembra muito aos das gigantescas filmadoras da época. Há um certo envelhecimento da imagem que dá a impressão de imersão nostálgica ao telespectador.

Foto: Divulgação

Comentários

comentários