Foto: Reprodução. Filmes

Morre aos 90 anos de idade a cineasta belga Agnès Varda


O cinema mundial perde uma de suas mais importantes vozes. Na manhã desta sexta-feira (29/03) em Paris, na França, morreu aos 90 anos de idade a cineasta belga Agnès Varda. A artista lutava contra o câncer de mama.

Nascida em 1928 em Bruxelas, na Bélgica, Varda começou sua carreira como fotógrafa, mas logo decidiu se aventurar no mundo do cinema. Seu primeiro filme, “La Pointe Courte” (1955), foi o grande precursor da Nouvelle vague, movimento artístico francês que tinha como principal objetivo contestar as regras do cinema convencional.

Em seus mais de 60 anos de carreira, Agnès Varda fez muitos filmes, dos quais se destacam “Cléo das 5 às 7” (1962), “Uma Canta, a Outra Não” (1977), “Jane B. por Agnès V.” (1988) e “Os Catadores e Eu” (2000), que ganhou o Prêmio do Cinema Europeu de Melhor Documentário.

Em novembro de 2017, Varda se tornou a primeira diretora a receber um Oscar honorário pela sua carreira. Um ano depois, o documentário “Visages, Villages” concorreu à estatueta de ouro na categoria “Melhor Documentário”, tornando-a a pessoa mais velha a receber uma indicação na premiação.

Em Cannes, Agnès Varda recebeu em 2015 a Palma de Ouro honorária pela sua carreira, maior honraria da premiação. Ela e Jane Campion são as duas únicas diretoras da história que receberam tal homenagem.

Em fevereiro deste ano, Varda estreou no Festival de Berlim o seu último filme, o autobiográfico “Varda por Agnès”, uma introdução à sua obra cinematográfica.

Descanse em paz, Agnès!

Foto: Reprodução

Relacionado:

Leia mais sobre Filmes

Comentários

comentários