LEITURA---A-INCENDIÁRIA---17-04-18 Críticas, Literatura

Resenha | “A Incendiária”, de Stephen King (Suma de Letras)


Em abril deste ano, a editora Suma de Letras lançou uma nova edição de um dos clássicos de Stephen King, “A Incendiária”, em capa dura. Lançada originalmente em 1980, a história deixa de lado a fama de “rei do terror” do autor para dar espaço à uma tremenda obra de ficção científica. 

Publicada originalmente em 1980, a trama prende desde o início, já começando em alta velocidade, no meio de uma perseguição a Andy McGee e sua filha, Charlie. Após tomar um conhecimento superficial dos poderes da criança, um órgão do governo americano chamdo Oficina decide ir atrás dela, para que pudesse descobrir, a fundo, do que era capaz.

Durante grande parte do livro é, justamente, o clima de perseguição que move “A Incendiária”, que não traz absolutamente nada de terror e se aproxima de outras obras de King da mesma época, como “Carrie: A Estranha” e “A Zona Morta”.

Quando a perseguição parece terminar, no entanto, a obra fica um pouco mais lenta. Porém, a todo o momento, é perceptível a preparação de King para um grande final que, apesar de um pouco previsível, é muito bom. Ainda assim, no geral, é uma leitura bem rápida, movida pela curiosidade de saber o que acontecerá com Andy e Charlie.

 “A Incendiária” já teve uma adaptação ao cinema, em 1984, que não conseguiu muito sucesso. Apesar disso, confesso que fiquei com vontade de ver uma nova adaptação, mais moderna, para as telonas. Como todas as obras de Stephen King, a história dos McGee é bastante visual, fazendo com que seja fácil, para o leitor, imaginar as cenas descritas no livro.

A nova edição, lançada pela editora Suma de Letras neste ano, é muito bonita. A capa é dura e amarela, emborrachada e com a arte frontal em alto-relevo. A cada capítulo que se inicia, a página simula uma folha queimada. É um ótimo investimento para os colecionadores de livros.

Aos fascinados pelo terror de Stephen King, “A Incendiária” talvez não seja a melhor opção de obra do autor. Mas, aos que gostam de uma boa e aventureira dose de ficção científica, é uma ótima leitura, apesar de não tão surpreendente.

Sinopse Oficial:

Andy e Vicky eram apenas universitários precisando de uma grana extra quando se voluntariaram para um experimento científico comandado por uma organização governamental clandestina conhecida como “a Oficina”. As consequências foram o surgimento de estranhos poderes psíquicos — que tomaram efeitos ainda mais perigosos quando os dois se apaixonaram e tiveram uma filha.
Desde pequena, Charlie demonstra ter herdado um poder absoluto e incontrolável. Pirocinética, a garota é capaz de criar fogo com a mente. Agora o governo está à caça da garotinha, tentando capturá-la e utilizar seu poder como arma militar. Impotentes e cada vez mais acuados, pai e filha percorrem o país em uma fuga desesperada, e percebem que o poder de Charlie pode ser sua única chance de escapar.

Ficha técnica:

Título original: FIRESTARTER
Tradução: Regiane Winarski
Capa: Alceu Chiesorin Nunes
Páginas: 450
Formato: 16.20 X 23.80 cm
Peso: 0.788 kg
Acabamento: Capa dura
Lançamento: 06/04/2018
ISBN: 9788556510617
Selo: Suma de Letras

Comentários

comentários