Dia Mundial do Rock Música, Trending

Os memoráveis shows que deram origem ao Dia Mundial do Rock


No dia 13 de julho, o “Dia Mundial do Rock” é celebrado no Brasil. Sim, apesar do nome, este é um dos únicos países a celebrar tal dia nesta data específica, obedecendo um desejo expressado por Phil Collins há exatamente 32 anos, durante o histórico Live Aid 1985.

Organizado para acontecer em dois lugares ao mesmo tempo, Londres, na Inglaterra, e Filadélfia, nos Estados Unidos, o evento foi beneficente, em prol da fome na Etiópia.

A ideia surgiu depois que Bob Geldof assistiu à uma reportagem da BBC sobre a fome no país africano. Comovido, ele decidiu tentar ajudar estas pessoas através da música. Ao compor o single  “Do They Know It’s Christmas?”, em 1984, ele chamou diversos artistas para participar da música, que se tornou o mais rapidamente vendido do Reino Unido, arrecadando cerca de 8 milhões de libras. O elenco de peso foi nomeado como ‘Band Aid’.

Foram os artistas que participaram da canção, na ordem: Paul Young, Boy George, George Michael, Simon Le Bon (Duran Duran), Sting, Tony Hadley (Spandau Ballet), Bono Vox, Paul Weller, Glenn Gregory (Heaven 17) e Marilyn. No coro final, estão: Holly Johnson (Frankie Goes To Hollywood), Bananarama, Francis Rossi (Status Quo), Jody Watley (Shalamar), Kool & The Gang e Phil Collins (que também tocou bateria na faixa).

A boa causa e a grande recepção do single por parte do público os motivou a fazer ainda ainda mais. Assim, surgiu a ideia do Live Aid 1985.

Os shows aconteceram simultaneamente no Wembley Stadium, em Londres, com a presença de 72 mil pessoas, e no John F. Kennedy Stadium, na Filadélfia, onde estiveram 100 mil pessoas. Houve transmissões ao vivo nos Estados Unidos e países da Europa.

Na Inglaterra, estiveram presentes artistas como: Elvis Costello, Sting, Phil Collins, Paul Young, U2, Dire Straits, Queen, David Bowie, The Who, Elton John, Paul McCartney e a ‘Band Aid’, entre outros.

Já nos Estados Unidos, estiveram: Joan Baez, Black Sabbath, Crosby, Stills and Nash, Judas Priest, Bryan Adams, The Beach Boys, Pretenders, Santana, Madonna, Tom Petty and the Heartbreakers, The Cars, Neil Young, Eric Clapton, Phil Collins, Led Zeppelin, Duran Duran, Mick Jagger, Bob Dylan, Keith Richards, Ronnie Wood e USA For Africa.

Phil Collins contou com a ajuda do avião Concorde para conseguir chegar à Filadélfia depois de ter tocado em Londres, conseguindo fazer sua aparição nos dois eventos. Em um de seus comentários, o músico disse que aquele deveria ser considerado o “dia global do rock”. Pronto, criamos o Dia Mundial do Rock.

À época, ainda não havia a tecnologia ideal para a produção e transmissão do grande evento. A ideia principal de Mick Jagger e David Bowie era fazer um dueto intercontinental. O delay por causa da transmissão, porém, impossibilitou que isto acontecesse. Por isso, os dois artistas pré-gravaram um clipe da canção que apresentaram, “Dancing in The Street”.

Outros problemas técnicos aconteceram durante a noite: a transmissão caiu durante a apresentação do The Who, em “My Generation”, após um gerador explodir, enquanto Roger Daltrey cantava “Why don’t you all f…”. Quer ser mais rock & roll do que isso?

Um dos erros mais perceptivos, porém, aconteceu na vez de Paul McCartney subir ao palco. Ao começar sua apresentação de “Let It Be”, única música tocada pelo Beatle, o microfone não funcionou durante os primeiros dois minutos, fazendo com que ninguém conseguisse ouvi-lo, tanto da plateia, quanto pela televisão.

Apesar de todos os problemas, o Live Aid 1985 é lembrado, principalmente, pelo feito de reunir tantos artistas incríveis por único motivo, além do grande efeito que causou. Os jornais da época calcularam o arrecadado entre 40 e 50 milhões de libras. Hoje, porém, é estimado que 150 milhões de libras tenham sido gerados diretamente pelos dois shows.

Foto: Reprodução/MPL

Comentários

comentários