Foto: Reprodução/Paul McCartney Música

Paul McCartney processa Sony em busca dos direitos das músicas dos Beatles


Nesta quarta-feira (18), o site Hollywood Reporter noticiou que Paul McCartney abriu um processo contra a Sony para garantir de volta os direitos sobre as músicas dos Beatles que, depois de pertencerem a Michael Jackson, hoje são da empresa em questão.

Em 1976, uma lei de copyrights nos Estados Unidos definiu que as músicas criadas antes de 1978 poderiam ter os direitos devolvidos a seus criadores após 56 anos. Paul McCartney, que preferiu recorrer à justiça americana em vez da britânica, espera conseguir o direito de suas músicas no dia 5 de outubro de 2018, segundo ele, exatos 56 anos desde que começou sua colaboração com John Lennon.

À revista Rolling Stone, um representante da Sony disse: “A Sony/ATV tem o maior respeito por Sir Paul McCartney, com quem temos tido um longo e mutualmente positivo relacionamento com respeito ao tesouro que é o catálogo de Lennon e McCartney. Trabalhamos próximos com Sir Paul e os representantes de John Lennon após sua morte durante décadas, a fim de proteger, preservar e promover o valor do catálogo a longo prazo. Nós estamos chateados com o processo, porque acreditamos ser desnecessário e prematuro”.

Entenda a confusão com os direitos das músicas dos Beatles: 

Entre 1962 e 1971, John Lennon e Paul McCartney atribuíram os direitos de algumas canções dos Beatles a diversos editores. A Nothern Song, empresa criada pelo dois em parceria com Brian Epstein e Dick James, era uma das responsáveis pelo catálogo. Porém, quando Epstein morreu, Paul e John não conseguiram renegociar os direitos com Dick James, que vendeu-os à ATV, na época pertencente ao bilionário australiano Robert Holmes à Court.

Em 1984, o empresário decidiu vender sua empresa. O fato chegou ao conhecimento de Michael Jackson e seu advogado John Branca, que chegou a perguntar se Yoko Ono gostaria de se juntar a Paul McCartney para adquirir o catálogo, mas teve uma resposta negativa. O advogado, então, entrou em contato com Macca, que disse, à época, que o catálogo estava muito caro.

Desta forma, Michael Jackson ofereceu US$ 47,5 milhões pelas músicas e conseguiu adquiri-las, comprando a ATV e causando uma grande confusão com Paul McCartney, que cortou relações com o cantor na época.

Leia Mais: 

Paul McCartney e The Killers tocam música dos Beatles juntos em Réveillon de hotel

Beatles e Paul McCartney são indicados ao Grammy 2017

Fotógrafo processa Playboy por foto de Paul McCartney nos anos 70

Em 1995, Michael Jackson vendeu 50% da ATV para a Sony por US$ 95 milhões, o que resultou na criação da empresa Sony/ATV, hoje detentora dos direitos de diversos artistas, como Lady Gaga e Rolling Stones, entre outros.

Em março de 2016, a Sony/ATV resolveu comprar os outros 50% do catálogo de Michael Jackson por uma quantia de US$ 750 milhões. Portanto, hoje, a empresa é a dona integral de 251 canções dos Beatles, além de um acervo com 4000 efeitos sonoros e demos da banda. Por isso, depois de muito tempo, Paul McCartney pretende recuperar estes direitos.

 

Comentários

comentários