empatia e simpatia Críticas

Empatia não é sinônimo de simpatia. E isso importa.


Neste mês vimos com frequência nas redes sociais o #SetembroAmarelo, uma campanha de prevenção ao suicídio e conscientização sobre outros transtornos psicológicos – que não devem ser tratados como brincadeira, mas como um problema de saúde como qualquer outro. E veio muito à tona o assunto da tal empatia. Mas, afinal, o que é isso exatamente? 

Muitas vezes o conceito de empatia é confundido com o de simpatia. E são capacidades completamente diferentes.

Simpatia é você, genuinamente ou não, demonstrar que quer o melhor para o outro – geralmente acompanhado de uma mensagem positiva, desejo de melhoras, um sorriso. E não tem nada de errado com isso. Mas não tem nada a ver com empatia.

Empatia geralmente é definido como “se colocar no lugar do outro”. Mas é mais do que isso. Tem a ver com ser vulnerável a ponto de buscar algo dentro de si que se relacione com o que essa outra pessoa está passando. Também não é se jogar nesse sentimento e ficar com ele – aí duplicaríamos o problema. Mas é sim, trazê-lo à tona para mostrar para a outra pessoa que você está ali com ela.

A psicóloga-pesquisadora Brené Brown explica, de forma bem humorada, a diferença entre os dois. É um vídeo que marcou muito a forma com que eu trato as pessoas. Espero que tenha o mesmo efeito para você.

Empatia cura e não custa. Exercite-a.

Comentários

comentários