Foto: Divulgação Filmes

Rodrigo Santoro se emociona ao falar de cena de crucificação em “Ben-Hur”


Nesta terça-feira (2), aconteceu, em São Paulo, a coletiva de imprensa com os atores Rodrigo Santoro e Jack Huston  (Judah) para a divulgação do filme “Ben-Hur”, que entra em cartaz no dia 18 de agosto.

O ator brasileiro afirmou que não foi fácil aceitar o papel de Jesus Cristo nas telonas, por ser uma figura muito icônica.

“Todas as pessoas têm uma relação com ele, eu sou uma dessas pessoas, cresci ouvindo histórias de Jesus da minha avó, que é italiana. Ele sempre fez parte do meu imaginário e da minha vida”, disse o ator. “Recebi convite para fazer ‘A paixão de Cristo’ e não pude aceitar. Quando eu recebi o convite do diretor por Skype eu fiquei em conflito com receios, dúvidas, que responsabilidade, que desafio. No dia seguinte acordei com a ideia esclarecida de que eu queria fazer única e exclusivamente pela profundeza do mergulho. Será que Jesus teria essa forma? Tem se falado tanto isso se Jesus era negro”.

Ao falar da cena da crucificação, Rodrigo Santoro se emocionou: “Sou uma pessoa emotiva para o bem e para o mal, mas quando digo que me emociono, é literalmente”. Ele ainda comentou sobre os desafios de filmar a cena, já que havia nevado no dia anterior. “Comentei com um produtor que estava frio. Lembra o que Jesus veste quando é crucificado? Já não basta estar na cruz. Foi desesperador. O que pedi é fazer um take longo. Estava vindo da maquiagem, que durou seis horas”.

“Ben-Hur” é um remake da versão original, lançada em 1959. Na época, ela foi a vencedora de 11 estatuetas do Oscar.

O filme estreia no dia 18 de agosto nos cinemas brasileiros.

Comentários

comentários