Capitão América Literatura

“Captain America: Steve Rogers”: nova HQ choca até o ator Chris Evans


Depois de ganhar sua juventude de volta na saga Avengers Standoff, o Capitão América Steve Rogers voltou nesta semana a estrelar uma série solo, neste 2016 em que completa 75 anos de existência. Mas a Marvel Comics simplesmente decidiu deixar todo mundo chocado e no final de “Captain America: Steve Rogers” #1, que saiu ontem (25)  nos EUA, revelou algo que altera profundamente a história do Capitão.

ATENÇÃO: SPOILERS

A edição repassa boa parte da vida de Rogers, e resgata diversos ajudantes que acompanharam o Capitão ao longo dos anos – como Rick Jones, Redentora e Jack Flag. Um flashback de 1926, porém, acrescenta uma novidade à vida do Capitão: vítima de violência doméstica, a mãe de Rogers deixa de ser agredida por seu marido de repente, com a visita de uma misteriosa mulher chamada Elisa Sinclair, que defende Sarah Rogers e a convida a integrar uma comunidade que pode ajudá-la: a HYDRA.

Embora a história do pai abusivo já fosse consagrada – sabe-se que Joseph Rogers morreu de infarto por volta de 1926 – a sugestão de que a família Rogers pode ter laços com a organização criminosa é nova. E na nova HQ leva a uma cena em que Capitão persegue o Barão Zemo, que pegou Erik Selvig como prisioneiro. Depois de se livrar de Zemo e de Jack Flag, Steve Rogers deixa todos os leitores chocados e diz para Selvig: “Hail HYDRA”.

Capitão América

Esse final foi tão chocante que até Chris Evans, que interpreta o personagem no universo Marvel dos cinemas, reagiu à notícia. No Twitter, o ator mencionou, com muita surpresa, a organização HYDRA, que tem papel fundamental na reviravolta em torno de Steve Rogers. Veja:

Nick Spencer é o roteirista da nova HQ de Steve Rogers e também escreve a série do outro Capitão América em atividade, Sam Wilson, e diz que a revelação de que Steve Rogers é parte da HYDRA afetará a HQ irmã: “Vai ter impacto profundo na história de Sam e na vida dele. Ele está prestes a passar por um teste de um jeito que raramente vemos com um personagem. Ele será desafiado fundamentalmente. Sam é uma parte essencial do que estamos planejando”.

Também já foi anunciado pelo autor que o personagem dessa revista não está mentalmente subjugado, nem é um clone ou qualquer outra coisa assim. Realmente é o Capitão América.

Capitão América

Nós realmente – ainda – estamos em choque e esperamos por uma explicação melhor do que fazer do Capitão um personagem do mal.

Comentários

comentários